Definição de dor é revisada após mais de quatro décadas

Uma atualização publicada pela Associação Internacional para o Estudo da Dor, após mais de 40 anos, redefiniu a palavra "dor". A Associação abraçou a pequena parcela de pessoas acometidas pelas dores nociplásticas, doenças que podem acometer até mais de 2% dos brasileiros, mas que, por não deixarem rastros visíveis, dificultam a sua identificação e tratamento.

De acordo com a nova publicação da IASP, a condição passa a ser definida como "uma experiência sensorial e emocional desagradável associada, ou semelhante àquela associada, a um dano real ou potencial ao tecido." A nova definição permite fazer com que a dor seja tratada como uma doença de fato, e não apenas como um sintoma. Vale ressaltar que a dor é uma experiência pessoal influenciada por fatores biológicos, psicológicos e sociais; que ela não pode se limitar a atividades dos neurônios sensoriais; e que o limiar de dor varia de pessoa para pessoa.

Leia mais em: UOL

Notícia AnteriorVeja como o uso da maconha pode influenciar na quantidade de anestesia durante uma cirurgia
Próxima Notícia13 medidas que podem ser adotadas pelo anestesiologista para controlar a ansiedade e o estresse pós trabalho