Segurança do Paciente: Sedação profunda e anestesia geral são atos médicos

Saiba a diferença e a importância desses procedimentos

A anestesia é fundamental para diversos procedimentos médicos. O objetivo principal de sua aplicação é proporcionar segurança e tranquilidade aos pacientes submetidos a cirurgias, exames diagnósticos e terapias.

Além de impedir a percepção da dor, evita a ocorrência de efeitos reflexos e induz o indivíduo a um maior relaxamento muscular, o que é de suma importância para o trabalho dos profissionais. Assim, há dois tipos de sedação mais profundas:

A Anestesia Geral

O paciente perde a consciência de forma reversível e controlada, ele não consegue sentir, ouvir ou lembrar de nada. Algumas funções essenciais também ficam suspensas durante esse período, como a respiração, que é mantida de forma artificial.

Essa anestesia é utilizada em procedimentos de grande porte, como abertura da cavidade torácica ou abdominal, cirurgias cardíacas, ortopédicas ou bariátricas.

E a Sedação profunda

Já nas sedações, apesar do paciente ficar um pouco menos consciente de si e do ambiente, estarem sonolentos, eles não ficam de fato inconscientes. Não sentem a dor dos procedimentos que utilizam esse tipo de sedação, mas estão conscientes, embora confusos, do que acontece. Na sedação profunda o paciente só responde a estímulos dolorosos fortes.

Pode ser administrada para procedimentos como a endoscopia, colonoscopia, coletas de materiais para biopsia ou pequenas cirurgias associando ou não alguma técnica de anestesia local ou loco regional.

O médico anestesiologista está sempre presente acompanhando o procedimento, ele vigia e monitora os sinais vitais do paciente, como o batimento cardíaco, pressão sanguínea, respiração, temperatura. Tudo isso com o objetivo de garantir que se mantenham normais e estáveis. É também de responsabilidade do anestesiologista a reversão dos efeitos dos fármacos administrados ao final do procedimento e a supervisão do paciente até que recupere sua consciência e mobilidade.

E está na lei. De acordo com a norma n°.12.842 Art.4°. §6°. São atividades privativas do médico: Execução de sedação profunda, bloqueios anestésicos e anestesia geral.

Notícia AnteriorEdital de Convocação
Próxima NotíciaOS CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS